Contos de Som e Silêncio #10

Foi de um segundo para o outro que ele decidiu, decidiu ser feliz e não fazer feliz, não considero egoísmo ele ter escolhido a si mesmo, pois se escolhesse a ela faria ela infeliz, se tu não está feliz automaticamente faz o outro ser humano que vive contigo ser infeliz.
Um casamento é algo muito importante e sério, para a pessoa decidir casar tem que pensar muito antes e quem diria que perto da hora do “Eu aceito” traria tantas dúvidas e incertezas, qual tipo de felicidade você escolhe?
Em Medo da Chuva, da querida Carolina Utinguassu, muitos julgariam como felicidade mas o noivo Henrique resolveu abrir mão desta felicidade, para florescer a verdadeira felicidade de dentro dele.
O conto, inspirado na música de mesmo nome, do grande Raul Seixas, se desenvolve delicadamente. Com parágrafos milimétricamente calculados, podemos sentir e viver toda a angústia e alegria do protagonista. E também podemos notar o quanto a sociedade está enclausurada por seus dogmas e conceitos, e, principalmente, como a perplexidade se mostra aparente quando, finalmente, nos desprendemos dessas estimas e resolvemos mudar; o quanto a mudança se faz necessária, e tudo que estamos perdendo quando ela surge, mesmo que por um buraco apenas, e a deixamos passar. 
Por se tratar de contos não posso mais ir tão profundamente ao explicar essas incríveis histórias. Mas outro conto que me chamou a atenção e que, de certa forma, me marcou foi A Novidade, de Alexandre Braoios. 
Ele trata de coisas que ainda vivemos, o pânico por trás da inovação, vamos aprender um pouco mais deste assunto tão importante.
Duas pessoas com personalidades diferentes estão em uma mesma situação. A situação, portanto, foi apresentada de maneira opostas para ambas, mas as duas deveriam dar o mesmo fim e solução para o problema. Ou solução que se apresentaria, quando deparados com uma criatura surreal, começa ai um conflito gritante por moralidade.
Assim como no século que vivemos, o novo impressiona muitos, mas na maioria das vezes causa um terror gritante e assustador, e todo esse medo nos ajuda a termos força e seguir em frente.
O conto fala sobre o medo de não aceitarmos novidades e aceitarmos, isso tudo nos faz lidar melhor com o fato de aceitar a todos os seres humanos como iguais.
Espero que tenha gostado porque este livro é muito instigante.
BOA LEITURA!

Comentários

Postagens mais visitadas